UN FILTRO PUÒ TRASFORMARE L’ACQUA MARINA IN ACQUA POTABILE – Artigo Bilíngue

 em Novidades

La Terra è coperta per il 70% da acqua, ma quella potabile è solo l’1%. Il 97% è salata, il 2% è congelata sotto forma di ghiacciai. La soluzione odierna è la depurazione attraverso impianti che sono enormemente costosi e non risolvono completamente la necessità di acqua.

Infatti, secondo il World Water Council, 923 milioni di persone non hanno accesso a fonti sicure di acqua potabile. Secondo un rapporto Unicef, 800 bambini sotto i 5 anni, muoiono ogni giorno per diarrea causata da acqua e servizi igienico sanitari non adeguati, un bambino su quattro (quasi 600 milioni) entro il 2040 vivranno in aree del pianeta con risorse idriche limitatissime.

E’ quindi fondamentale riciclare l’acqua e non sprecarla. É il nostro bene più prezioso.

Un team di ricercatori, dell’Università di Manchester, ha creato un filtro basato sul grafene che potrebbe risolvere per sempre la carenza globale di acqua potabile.

Il funzionamento è molto semplice, simile ad un setaccio, filtra il sale dell’acqua di mare, attraverso membrane di ossido di grafene.

Il grafene è un materiale costituito da uno strato monoatomico di atomi di carbonio (avente cioè uno spessore equivalente alle dimensioni di un solo atomo). Ha la resistenza meccanica del diamante e la flessibilità della plastica.

Questo materiale ha dimostrato la capacità di trattenere i sali, fin nelle sue più piccole parti. Finora la tecnologia non permetteva di filtrare i sali comuni, perchè richiedevano filtri con fori molto piccoli. Ora le conoscenze permettono di separare anche le nanoparticelle.

Questa potrebbe essere l’invenzione che salverebbe dalla sete un numero di persone enorme, che nel 2025 diverrà il 14% della popolazione mondiale.

Speriamo che questa ricerca porti veramente a qualcosa di concreto.

 

UM FILTRO DE PODE TRANSFORMAR A ÁGUA DO MAR EM ÁGUA POTÁVEL

A Terra está coberta por 70% de água, mas a potável é apenas 1%. 97% é salgada, 2% congelada na forma de geleiras. A solução atual seria a depuração através de implantes que gastam muito e não resolvem completamente a necessidade de água.

De fato, segundo o World Water Council, 923 milhões de pessoas não têm acesso a fontes seguras de água potável. Segundo um documento Unicef, 800 crianças abaixo dos 5 anos, morrem cada dia por diarreia causada pela água e serviços de higiene e sanitários não adequados. Uma criança em quatro (quase 600 milhões) até 2040 viverão em áreas do planeta com recursos hídricos limitadíssimos.

É então fundamental reciclar a água e não desperdiçar. É o nosso bem mais precioso.

Um time de pesquisadores, da Universidade de Manchester, criou um filtro baseado no grafeno que poderia resolver para sempre a falta global de água potável.

O funcionamento é muito simples, semelhante a um coador, filtra o sal da água do mar, através de membranas de óxido de grafeno.

O grafeno é um material constituído de um estrato monoatômico de átomos de carbono (ou seja, com a grossura equivalente às dimensões de um só átomo). Tem a resistência mecânica do diamante e a flexibilidade do plástico.

Esse material demonstrou a capacidade de reter os sais, até nas suas menores partes. Até agora a tecnologia não permitia de filtrar os sais comuns, porque necessitavam de filtros com furos muito pequenos. Agora os conhecimentos permitem a separação até das nanopartículas.

Essa poderia ser a invenção que salvaria da sede um número de pessoas enorme,, que em 2025 será 14% da população mundial.

Esperamos que essa pesquisa leve de verdade a algo concreto.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário